O monitoramento de pragas é indispensável para o agricultor que deseja estar ciente de tudo o que ocorre em sua lavoura, se antecipando e tomando as melhores decisões para manejar pragas. Essa prática deve ocorrer tanto em áreas com milho Bt quanto em áreas de refúgio.

É o monitoramento que possibilita a identificação das pragas presentes na lavoura e dos danos causados por elas. A intensidade desses danos e a quantificação das pragas são os principais indicadores para a tomada de decisão sobre estratégias de manejo, compondo o chamado “nível de dano econômico”.

Nível de dano econômico   

Todo manejo de pragas tem como objetivo reduzir as populações de insetos que predam a cultura do milho, mantendo as pragas em um nível no qual não são capazes de afetar a rentabilidade da lavoura. Cada praga possui indicadores específicos de população e de dano, para que seja iniciada a aplicação de inseticidas.

Momento correto

Conhecendo as pragas e o nível de dano econômico de cada uma delas, é possível fazer o manejo eficiente no momento correto. Em altas infestações de insetos em estágios avançados, o manejo é muito difícil. Por esse motivo, é tão importante realizar o monitoramento.

Entenda melhor: de acordo com a escala Davis, o momento correto da aplicação de inseticidas para o manejo da lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda) é quando 20% das plantas da lavoura apresentam raspagens ou pequenos furos nas folhas. Após essa fase, as lagartas podem estar em um tamanho grande, que dificulta a chegada dos inseticidas nos cartuchos das plantas onde elas se alojam.